“Nisto reconhecerão todos que sois meus discípulos, se tiverdes amor uns pelos outros”.
Evangelho de João (13,35)

“Todo aquele que ama nasceu de Deus e conhece a Deus. Aquele que não ama não conheceu a Deus, porque Deus é Amor”
1 João 4,7-8

“A consciência é o centro mais secreto e o santuário do homem, no qual se encontra a sós com Deus, cuja voz se faz ouvir na intimidade do seu ser. […] Pela fidelidade à voz da consciência, os cristãos estão unidos aos outros homens no dever de buscar a verdade e de nela resolver os problemas morais que surgem na vida individual e social”.
“Ninguém seja levado a agir contra a consciência nem impedido de agir de acordo com ela”.
Concílio Vaticano II (1965), Gaudim et Spes (nº 16) e Dignitatis Humanae (nº 2)

“A consciência é uma lei de nosso espírito que ultrapassa nosso espírito, nos faz imposições, significa responsabilidade e dever, temor e esperança… É a mensageira daquele que, no mundo da natureza bem como no mundo da graça, nos fala através de um véu, nos instrui e nos governa. A consciência é o primeiro de todos os vigários de Cristo.”
Cardeal John Henry Newman (1801-1890), citado no Catecismo da Igreja Católica, nº1778.

“Pai santo… fazei que todos os membros da Igreja, à luz da fé, saibam reconhecer os sinais dos tempos e empenhem-se, de verdade, no serviço do Evangelho. Tornai-nos abertos e disponíveis para todos, para que possamos partilhar as dores e as angústias, as alegrias e as esperanças, e andar juntos no caminho do vosso reino.”
Oração Eucarística para Diversas Circunstâncias – III

“O Cristianismo não é um conjunto de proibições, mas uma opção positiva. E é muito importante que evidenciemos isso novamente, porque essa consciência, hoje, desapareceu quase que completamente”.
Papa Bento XVI, em entrevista à televisão alemã (13/8/2006).

“Se uma pessoa é gay, procura o Senhor e tem boa vontade, quem sou eu para a julgar? […] Não se devem marginalizar estas pessoas por isso”.
Papa Francisco, em entrevista (28/7/2013).

“A compreensão do homem muda com o tempo e assim também a consciência do homem aprofunda-se. Pensemos no tempo em que a escravatura era aceite ou a pena de morte era admitida sem nenhum problema. Assim, cresce-se na compreensão da verdade. Os exegetas e os teólogos ajudam a Igreja a amadurecer o próprio juízo. Também as outras ciências e a sua evolução ajudam a Igreja neste crescimento na compreensão. Existem normas e preceitos eclesiais secundários que noutros tempos eram eficazes, mas que agora perderam valor ou significado. Uma visão da doutrina da Igreja como um bloco monolítico a defender sem matizes é errada”.
Papa Francisco, em entrevista às revistas dos jesuítas (19/8/2013).

“É melhor ficar longe dos sacerdotes rígidos, eles mordem”.
Papa Francisco, em discurso ao clero (20/11/2015).