Somos um grupo de leigos católicos que compreende ser possível viver duas identidades aparentemente antagônicas: ser católico e ser gay, numa ampla acepção deste termo, incluindo toda diversidade sexual (LGBT).

Desejamos fornecer subsídios teológicos e pastorais que ajudem a conciliar estas identidades. Visamos também funcionar como comunidade virtual aglutinadora, proporcionando visibilidade a iniciativas semelhantes.

Sabemos que a proposta do cristianismo é 100% inclusiva – em todos os sentidos possíveis – e jamais excludente. O próprio termo “católico” quer dizer universal.

As ações e palavras de Cristo presentes nos evangelhos deixam bem claro que todos são chamados ao amor divino, independente de qualquer condição.

O chamado ao amor é universal. O que Jesus condena com extrema dureza é a hipocrisia, a discriminação, a soberba de qualquer tipo. Ele está sempre ao lado dos mais excluídos, pobres e marginalizados (na sua época, preceitos religiosos, interpretações humanas da vontade de Deus, excluíam categorias de pessoas consideradas “impuras” para a prática da fé, como leprosos, cobradores de impostos e prostitutas).

O lugar para viver e crescer nesse amor universal é a Igreja, comunidade dos que crêem em Cristo. Importante frisar que a palavra Igreja designa todos que vivem a fé cristã: leigos, clero e membros de congregações religiosas.

A condição básica para ser Igreja é vivenciar a fé em Cristo na comunidade, independente da orientação sexual dos fiéis. Quem quer viver de forma digna e bela sua orientação homossexual, sendo ou não celibatário, pode contar com os auxílios da graça de Deus.

O Diversidade Católica formou-se em julho de 2006, no Rio de Janeiro. Nossa postura é de comunhão com a Igreja. Seguimos na prática de Jesus e estendemos o convite de amor inclusivo a todos que parecem estar de fora. Preferimos, por enquanto, não publicar nossos nomes no site.

Seja bem-vindo meu irmão, seja bem-vinda minha irmã. Você encontrou a sua comunidade virtual.

Veja também:

Site Diversidade Católica completa um ano »